Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros

  • Localização: Fronteira, Portugal
  • Solução: Edifícios
  • Tipo: Arte, cultura e desporto
  • Arquitectura: Gonçalo Byrne Arquitectos
  • Cliente: Câmara Municipal de Fronteira
  • Âmbito: Fundações e estruturas, redes de drenagem e abastecimento de águas
  • Área: 935m2
  • Projecto: 2006
  • Construção: 2009
  • Fotografia: FG+SG | Fotografia de Arquitectura
  • Construtor: Centrejo
  • Ver no Google Maps

Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros

  • Localização: Fronteira, Portugal
  • Solução: Edifícios
  • Tipo: Arte, cultura e desporto
  • Arquitectura: Gonçalo Byrne Arquitectos
  • Cliente: Câmara Municipal de Fronteira
  • Âmbito: Fundações e estruturas, redes de drenagem e abastecimento de águas
  • Área: 935m2
  • Projecto: 2006
  • Construção: 2009
  • Fotografia: FG+SG | Fotografia de Arquitectura
  • Construtor: Centrejo
  • Ver no Google Maps

O Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros é um equipamento cultural destinado à apresentação e evocação da batalha ocorrida no dia 6 de Abril de 1384, em que as tropas conduzidas por Nuno Álvares Pereira venceram a cavalaria castelhana, apesar da superioridade numérica desta, utilizando uma táctica militar de inspiração inglesa - a "táctica do quadrado".

O edifício destaca-se pela sua textura rugosa, conseguida com a utilização de betão colorido em tons de vermelho e uma técnica próxima da manual, e está inserido num parque urbano, que evoca o campo de batalha, funcionando como a sua porta de entrada. Desenvolve-se num piso térreo (com uma pequena cave técnica), coberto a dois níveis (a 4.10 m e 6.50 m de altura), por uma cobertura plana. Tem a particularidade de ser dividido em dois corpos estruturais, não tanto por razões que se prendam com o seu comportamento estrutural, mas por força de um "gesto" arquitectónico, que "corta" a massa volumétrica através de uma passagem aberta de fachada para fachada.

A estrutura resistente é constituída por um conjunto de pórticos transversais, todos semelhantes e formados por dois pilares, um alinhado pela fachada sul e outro alinhado pela parede que divide o espaço de circulação a norte do núcleo expositivo, ligados no seu coroamento por uma viga ao nível da cobertura mais alta, viga essa que balança em consola até ao plano da fachada norte e que suporta, indirectamente e através de um montante de betão e um conjunto escora-tirante em aço, o volume sobre o espaço exterior a norte.

Outros projectos

Igreja de Porto Salvo

Igreja de Porto Salvo

Ver mais
Extensão do Oceanário de Lisboa

Extensão do Oceanário de Lisboa

Ver mais
Fábrica de Rações no Lubango

Fábrica de Rações no Lubango

Ver mais
Centro empresarial Living

Centro empresarial Living

Ver mais
Escola Secundária D. João de Castro

Escola Secundária D. João de Castro

Ver mais
Centro Comercial Braga Parque

Centro Comercial Braga Parque

Ver mais
Topo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar a aceder a este website está a concordar com a utilização das mesmas. Para mais informações veja a nossa política de cookies.

Portugal 2020 / Compete 2020 / União Europeia - Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional