Pontes sobre o Rio Save

  • Localização: Vila Franca do Save, Distrito de Govuro, Província de Inhambane, Moçambique
  • Solução: Obras de Arte, Infraestruturas e Transportes
  • Tipo: Pontes rodoviárias, Reabilitação, Gestão e Fiscalização, Vias rodoviárias e ferroviárias, Gestão e fiscalização
  • Promotor: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Cliente: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Âmbito: Revisão de Projecto de Estruturas (Reabilitação da ponte suspensa e construção dos viadutos de acesso e da nova ponte), revisão do Projecto de Vias, Fiscalização de obra
  • Área: Nova Ponte: 13621.5 m2 (1.009m x 13.5m); Via: 15579.2 m2 (1391m x 11.20m); Ponte Existente: 9222 m2 (870m x 10.6m)
  • Projecto: 2018/2019
  • Construção: 2018/2022
  • Construtor: China Road & Bridge Corporation
  • Dimensão: Nova Ponte: 1009m (120m vão máximo); Viadutos de acesso: 245+275m (30m vão máximo): Ponte existente: 870m (210m vão máximo); Via de acesso: 2400m
  • Ver no Google Maps

Pontes sobre o Rio Save

  • Localização: Vila Franca do Save, Distrito de Govuro, Província de Inhambane, Moçambique
  • Solução: Obras de Arte, Infraestruturas e Transportes
  • Tipo: Pontes rodoviárias, Reabilitação, Gestão e Fiscalização, Vias rodoviárias e ferroviárias, Gestão e fiscalização
  • Promotor: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Cliente: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Âmbito: Revisão de Projecto de Estruturas (Reabilitação da ponte suspensa e construção dos viadutos de acesso e da nova ponte), revisão do Projecto de Vias, Fiscalização de obra
  • Área: Nova Ponte: 13621.5 m2 (1.009m x 13.5m); Via: 15579.2 m2 (1391m x 11.20m); Ponte Existente: 9222 m2 (870m x 10.6m)
  • Projecto: 2018/2019
  • Construção: 2018/2022
  • Construtor: China Road & Bridge Corporation
  • Dimensão: Nova Ponte: 1009m (120m vão máximo); Viadutos de acesso: 245+275m (30m vão máximo): Ponte existente: 870m (210m vão máximo); Via de acesso: 2400m
  • Ver no Google Maps

A travessia da estrada N1 sobre o Rio Save era garantida por uma Ponte Suspensa de múltiplos vãos (3 vãos centrais de 210m e 2 vãos de extremidade de 100m, perfazendo um comprimento de 830m) construída no final da decada de 1960. Esta ponte possuí diversas características estruturais pouco comuns, entre as quais, a adopção de um sistema de pendurais inclinados em configuração triangulada, com amarração aos cabos funiculares, e ligados inferiormente por 2 cabos pré-esforçados de rigidez. O tabuleiro é constituído por módulos isostáticos de betão armado e pré-esforçado, com afastamento de 10m, e largura total de 10.6m.

Devido à sua idade e manutenção limitada, a ponte existente começou a revelar diversas patologias que comprometiam a sua segurança, de entre as quais: corrosão avançada dos pendurais; danos diversos de betão armado; danos nos aparelhos de apoio; danos nas juntas; etc Este facto obrigou a limitar a carga de circulação sobre a ponte provocando constrangimentos permanentes.

Neste contexto, o Governo decidiu construir uma nova Ponte dimensionada segundo os padrões actuais e adequada à importância deste corredor rodoviário. Apesar disso, e ciente das características únicas da Ponte existente, o governo decidiu também pela reabilitação desta estrutura, permitindo-lhe acomodar devidamente o tráfego enquanto a nova Ponte não estiver concluída, para além de se manter como um marco da Engenharia do País.

A nova Ponte obrigou à construção de uma nova via neste local, com uma extensão total de 2.400m e largura da plataforma pavimentada de 11.2m. Por sua vez, a nova Ponte possuí mais de 1.000m de comprimento e secção transversal de 13.5m - compreende 9.6m de faixa de rodagem e 1.2m de passeio de cada lado. Estruturalmente, está dividida em 3 módulos: i) Ponte Principal, com 490m de comprimento e vãos máx. de 120m, e tabuleiro de betão armado pré-esforçado em caixão unicelular de altura variável parabolicamente (executado pelo método dos carrinhos de avanço); e ii) viadutos de acesso Norte e Sul, com 240m e 270m respectivamente, e tabuleiro em vigas pré-fabricadas em T de betão armado pré-esforçado, de vão corrente 30m.

Os trabalhos de Reabilitação e Reforço da Ponte Suspensa compreendem a substituição integral dos cabos pendurais; a reparação generalizada de patologias de betão armado; e a substituição das juntas de dilatação e aparelhos de apoio.

A BETAR assumiu o papel de Revisor do Projecto (realizado pelo Empreiteiro atendendo ao tipo de contrato), tendo contribuindo na definição e melhoramento das diversas soluções implementadas. A BETAR assumiu ainda o papel de Fiscalização da Obra da Nova Ponte e da Reabilitação da Ponte Existente.

Outros projectos

Ponte Metálica da Chamusca sobre o Rio Tejo

Ponte Metálica da Chamusca sobre o Rio Tejo

Ver mais
Ponte Metálica de Belver sobre o Rio Tejo

Ponte Metálica de Belver sobre o Rio Tejo

Ver mais
Elevador do Jardim Público da Covilhã

Elevador do Jardim Público da Covilhã

Ver mais
Via rápida Maputo/ KaTembe/ Ponta do Ouro

Via rápida Maputo/ KaTembe/ Ponta do Ouro

Ver mais
Reabilitação das Passagens Superiores Pedonais na Gare do Oriente

Reabilitação das Passagens Superiores Pedonais na Gare do Oriente

Ver mais
Ponte de Penacova sobre o rio Mondego

Ponte de Penacova sobre o rio Mondego

Ver mais
Topo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar a aceder a este website está a concordar com a utilização das mesmas. Para mais informações veja a nossa política de cookies.

Portugal 2020 / Compete 2020 / União Europeia - Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional