Pontes sobre o Rio Save

  • Localização: Vila Franca do Save, Distrito de Govuro, Província de Inhambane, Moçambique
  • Solução: Obras de Arte, Infraestruturas e Transportes
  • Tipo: Pontes rodoviárias, Reabilitação, Gestão e Fiscalização, Vias rodoviárias e ferroviárias, Gestão e fiscalização
  • Promotor: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Cliente: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Âmbito: Revisão de Projecto de Estruturas (Reabilitação da ponte suspensa e construção dos viadutos de acesso e da nova ponte), revisão do Projecto de Vias, Fiscalização de obra
  • Área: Nova Ponte: 13621.5 m2 (1.009m x 13.5m); Via: 15579.2 m2 (1391m x 11.20m); Ponte Existente: 9222 m2 (870m x 10.6m)
  • Projecto: 2018/2019
  • Construção: 2018/2022
  • Construtor: China Road & Bridge Corporation
  • Dimensão: Nova Ponte: 1009m (120m vão máximo); Viadutos de acesso: 245+275m (30m vão máximo): Ponte existente: 870m (210m vão máximo); Via de acesso: 2400m
  • Ver no Google Maps

Pontes sobre o Rio Save

  • Localização: Vila Franca do Save, Distrito de Govuro, Província de Inhambane, Moçambique
  • Solução: Obras de Arte, Infraestruturas e Transportes
  • Tipo: Pontes rodoviárias, Reabilitação, Gestão e Fiscalização, Vias rodoviárias e ferroviárias, Gestão e fiscalização
  • Promotor: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Cliente: ANE - ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DE ESTRADAS
  • Âmbito: Revisão de Projecto de Estruturas (Reabilitação da ponte suspensa e construção dos viadutos de acesso e da nova ponte), revisão do Projecto de Vias, Fiscalização de obra
  • Área: Nova Ponte: 13621.5 m2 (1.009m x 13.5m); Via: 15579.2 m2 (1391m x 11.20m); Ponte Existente: 9222 m2 (870m x 10.6m)
  • Projecto: 2018/2019
  • Construção: 2018/2022
  • Construtor: China Road & Bridge Corporation
  • Dimensão: Nova Ponte: 1009m (120m vão máximo); Viadutos de acesso: 245+275m (30m vão máximo): Ponte existente: 870m (210m vão máximo); Via de acesso: 2400m
  • Ver no Google Maps

A travessia da estrada N1 sobre o Rio Save era garantida por uma Ponte Suspensa de múltiplos vãos (3 vãos centrais de 210m e 2 vãos de extremidade de 100m, perfazendo um comprimento de 830m) construída no final da decada de 1960. Esta ponte possuí diversas características estruturais pouco comuns, entre as quais, a adopção de um sistema de pendurais inclinados em configuração triangulada, com amarração aos cabos funiculares, e ligados inferiormente por 2 cabos pré-esforçados de rigidez. O tabuleiro é constituído por módulos isostáticos de betão armado e pré-esforçado, com afastamento de 10m, e largura total de 10.6m.

Devido à sua idade e manutenção limitada, a ponte existente começou a revelar diversas patologias que comprometiam a sua segurança, de entre as quais: corrosão avançada dos pendurais; danos diversos de betão armado; danos nos aparelhos de apoio; danos nas juntas; etc Este facto obrigou a limitar a carga de circulação sobre a ponte provocando constrangimentos permanentes.

Neste contexto, o Governo decidiu construir uma nova Ponte dimensionada segundo os padrões actuais e adequada à importância deste corredor rodoviário. Apesar disso, e ciente das características únicas da Ponte existente, o governo decidiu também pela reabilitação desta estrutura, permitindo-lhe acomodar devidamente o tráfego enquanto a nova Ponte não estiver concluída, para além de se manter como um marco da Engenharia do País.

A nova Ponte obrigou à construção de uma nova via neste local, com uma extensão total de 2.400m e largura da plataforma pavimentada de 11.2m. Por sua vez, a nova Ponte possuí mais de 1.000m de comprimento e secção transversal de 13.5m - compreende 9.6m de faixa de rodagem e 1.2m de passeio de cada lado. Estruturalmente, está dividida em 3 módulos: i) Ponte Principal, com 490m de comprimento e vãos máx. de 120m, e tabuleiro de betão armado pré-esforçado em caixão unicelular de altura variável parabolicamente (executado pelo método dos carrinhos de avanço); e ii) viadutos de acesso Norte e Sul, com 240m e 270m respectivamente, e tabuleiro em vigas pré-fabricadas em T de betão armado pré-esforçado, de vão corrente 30m.

Os trabalhos de Reabilitação e Reforço da Ponte Suspensa compreendem a substituição integral dos cabos pendurais; a reparação generalizada de patologias de betão armado; e a substituição das juntas de dilatação e aparelhos de apoio.

A BETAR assumiu o papel de Revisor do Projecto (realizado pelo Empreiteiro atendendo ao tipo de contrato), tendo contribuindo na definição e melhoramento das diversas soluções implementadas. A BETAR assumiu ainda o papel de Fiscalização da Obra da Nova Ponte e da Reabilitação da Ponte Existente.

Outros projectos

Reabilitação das Passagens Superiores Pedonais na Gare do Oriente

Reabilitação das Passagens Superiores Pedonais na Gare do Oriente

Ver mais
Ponte sobre o rio Caldo na albufeira da Caniçada

Ponte sobre o rio Caldo na albufeira da Caniçada

Ver mais
Plano de Urbanização da KaTembe na margem Sul de Maputo

Plano de Urbanização da KaTembe na margem Sul de Maputo

Ver mais
Subconcessão Litoral Oeste

Subconcessão Litoral Oeste

Ver mais
Substituição da Ponte ao pk50+200 da Linha de Ressano Garcia

Substituição da Ponte ao pk50+200 da Linha de Ressano Garcia

Ver mais
Reabilitação da Ponte Açude sobre o Rio Mondego

Reabilitação da Ponte Açude sobre o Rio Mondego

Ver mais
Topo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar a aceder a este website está a concordar com a utilização das mesmas. Para mais informações veja a nossa política de cookies.

Portugal 2020 / Compete 2020 / União Europeia - Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional