Clientes

Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Área de actividade: Ateliê de Arquitectura
Obras Realizadas
Urbanização da Quinta das Mil Flores
Localização: Miraflores, Lisboa
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 1989 - 1990
Fechar
Centro Comercial de Braga
Localização: Braga
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 1997 - 1997/1999
Descrição:

O Edifício em causa é constituído por um corpo principal com uma planta aproximadamente rectangular com 125.20m por 112.00m, dividido em nove corpos estruturais, separados por juntas de dilatação com 0.03m de largura, materializadas por separação dos elementos estruturais acima da cota de fundação.

Do lado nascente deste conjunto e anexos a ele, são edificados mais dois corpos destinados a cais de descargas do Centro Comercial e instalações técnicas.

Trata-se de um Edifício de 4 pisos, com 2 pisos enterrados para estacionamento e um piso à cota natural do terreno, um piso elevado ambos destinados a centro comercial e cobertura.

No geral, são adoptadas estruturas de betão armado, formando pórticos ortogonais nas duas direcções, constituídos por pilares, paredes, vigas e lajes.

Fechar
Centro Cívico e Comercial dos Olivais
Localização: Lisboa, Olivais
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 1997/1998 - 1999/2000
Descrição:

O empreendimento em estudo apresenta uma implantação rectangular com 72 m por 104 m, dividida em seis lotes constituidos por nove corpos estruturais. Os lotes 10, 11 e 12 constituem corpos estruturais distintos e os lotes 16, 17 e 18 são constituidos por dois corpos estruturais cada, designados de 16A e 16B, 17A e 17B, 18A e 18B, respectivamente. A separação dos corpos é feita por juntas de dilatação com 0.02 m de largura, obtidas por duplicação dos pilares e paredes acima da cota de fundação.

Fechar
Edifício dos Serviços Assistenciais da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal
Localização: Rua Rodrigo da Fonseca - Lisboa
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 2004 - 2006
Descrição:

O edifício é constituído por um corpo estrutural único com 4 pisos enterrados (pisos -4, -3, -2 e -1) sendo os três últimos destinados a estacionamento automóvel e o -1 para salas de cirurgia, um piso ao nível da rua (piso 0) com o acesso de viaturas e recepção, 6 pisos elevados para gabinetes médicos e cobertura de duas águas.

O lote de terreno a ocupar pelo edifício tem uma área em planta aproximadamente rectangular, com uma frente de 12.5 m para a Av. Rodrigo da Fonseca por 18.2 m de comprimento entre dois edifícios existentes.

Fechar
Novos Estúdios da RTP/RDP Rádio e Televisão de Portugal
Localização: Av. Marechal Gomes da Costa / Rua Conselheiro Emídio Navarro, Lisboa
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 2005 - 2005/2007
Descrição:

Edifício distintamente caracterizado por três volumes salientes de uma plataforma ajardinada, integrada de forma fluida com a modelação do terreno envolvente e que serve de cobertura a um embasamento que une esses volumes.

No primeiro volume, colocado na extremidade sudeste do conjunto, situa-se o Estúdio 2 e o Estúdio 3, com 34.8 m por 25.9 m. Os Estúdios 1 e 4, ficam no segundo volume a meio da área atrás definida e encostados ao seu limite oeste, com 37.3 m por 31.9 m. O terceiro volume, um edifício de escritórios com 11.9 m por 32.4 m e quatro pisos, remata o topo norte do embasamento.

O embasamento, com um piso semi-enterrado (piso -1) e dois pisos enterrados (piso -2 e -3), alberga o estacionamento automóvel, nos pisos -3 e -2, armazéns, arquivos e biblioteca no piso -2, e os estúdios, salas, oficinas, armazéns e áreas de apoio técnico no piso -1.

Fechar
Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa - Centro Nuno Krus Abcasis
Localização: R. F-2 PER 13, Malha 27.1, Lote 50 - Alta de Lisboa
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 2005 - 2006
Descrição:

O edifício desenvolve-se numa cave, um piso parcialmente enterrado, três pisos elevados e respectiva cobertura, que não é acessivel. Em planta, o edifício ocupa uma área com uma configuração rectangular. O acesso ao edifício faz-se por uma rampa exterior, que permite o acesso de viaturas ao piso 0, pelo alçado Nascente, ou pelo lado Norte no piso 1, através de escadas exteriores.

As estruturas, em betão armado, são do tipo porticado, com pilares definindo uma malha regular, ainda que as travessas desses pórticos sejam asseguradas por lajes fungiformes maciças convenientemente dimensionadas. Na periferia, as lajes são rematadas por vigas ou bordaduras maciças com a geometria adequada à formação das padieiras e peitoris definidos no projecto de Arquitectura.

Fechar
Serviço Jesuíta de Apoio aos Refugiados
Localização: Alta de Lisboa
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 2005 - 2007
Descrição:

Do ponto de vista estrutural trata-se de um único edifício em betão armado, com uma implantação triangular em planta. Desenvolve-se em semi-cave, um piso elevado e cobertura plana.

Fechar
Edifício de Apoio e Cobertura da Praça de Portagens da Maia
Localização: Maia
Arquitectura: Frederico Valsassina Arquitectos, Lda
Data Projecto - Construção: 2009
Descrição:

A cobertura da praça das portagens é uma construção em estrutura metálica porticada cobrindo a totalidade da praça de portagem em ambos os sentidos de tráfego, à excepção da zona destinada à implantação dos Pórticos Free-Flow. A projecção em planta das coberturas ocupa uma área de aproximadamente 51mx14m no sentido N/S e de 30mx14m no sentido S/N.

O edifício de apoio às portagens ocupa uma área rectangular, com 27.80 m de comprimento por 15.10 m de largura, e é caracterizado por constituir um volume paralelepipédico elevado, que comunica com o solo através de um volume interior de paredes de fundação situado a 1.50 m das fachadas, em todo o contorno do edifício.

A estrutura resistente é constituída pela laje de piso, laje da cobertura, paredes das fachadas de topo e paredes divisórias dos espaços definidos pela Arquitectura. Toda a estrutura será constituída por betão à vista, o que permitiu o aproveitamento das paredes divisórias para o desempenho de funções estruturais.

Paralelamente ao edifício, desenvolve-se a rampa de acesso, também constituída por uma laje fungiforme maciça de betão armado apoiada longitudinalmente numa parede, com desenvolvimento idêntico ao das fundações do edifício principal.

Ainda no alçado de acesso ao edifício é estabelecida a comunicação com o túnel sob as portagens. Essa ligação é concretizada por uma escada cujo corpo principal não é mais do que uma laje de fundo de 0.25m de espessura balizada lateralmente por prolongamentos das paredes do túnel.

Fechar